close

Nutrição

AlergiasNutrição

Alergia a Frutos do Mar

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-frutos-do-mar-crustaceos

Alergias a Frutos do Mar gera muitas dúvidas, por isso, o Biomédico Fabio Griciunas, especialista em Alergia Alimentar e a ASBAI – Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, esclarece esse assunto.

Intolerância Alimentar ou Alergia Tardia

alergica-e-produzida-alergias-a-frutos-do-mar

É um processo imunológico onde frações ou macromoléculas de alimentos mau digeridos inflamam a mucosa intestinal, desequilibram a flora bacteriana intestinal e aumentam a permeabilidade e entram na circulação.

Essas substâncias ou fragmentos de proteínas são reconhecidos pelo sistema imunológico como substâncias estranhas ou agressoras e combatidos pelo sistema imunológico através de anticorpos específicos para o alimento.

Os alérgenos alimentares mais comuns responsáveis por até 90% de todas as reações alérgicas são as Proteínas do Leite de Vaca, Ovo, Amendoim, Trigo, Soja, Peixe, Frutos do Mar e Nozes.

Os alimentos podem provocar reações cruzadas, ou seja, alimentos diferentes podem induzir respostas alérgicas semelhantes no mesmo indivíduo. O paciente alérgico ao camarão pode não tolerar outros crustáceos.

Da mesma forma, pacientes alérgicos ao amendoim podem também apresentar reação ao ingerir a soja, ervilha ou outros feijões.

As reações de hipersensibilidade a ingestão de mariscos constituem uma das alergias alimentares mais frequentes nos adultos. A maioria são alergias múltiplas a Mariscos, tais como a Lagosta, Caranguejo e Camarão.

Os indivíduos podem desenvolver Urticária, Angioedema, Asma e quadros de Anafilaxia. Foi demonstrada a presença de antígenos termoestáveis e termolábis no camarão.

Em estudos recentes, foi identificada como o alérgeno do camarão uma proteína muscular a tropomiosina.

**Alérgicos a camarão tem 85% de chances de reagir a outros frutos do mar. 

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-molho-camarao-frutos-do-marEspecialista alerta para os cuidados com pratos que contem molhos!!

Alergia a camarão está entre as principais queixas de alergias alimentares, e para quem sofre com esse tipo de alergia precisa ficar atento, já que a chance de se desenvolver reações a outros frutos do mar, como Lagosta, Siri, Caranguejo, Mexilhão e Ostra, aumenta em 85%.

No caso de moluscos, como Lula e Polvo, o risco sobe para 35%.

A Dra Ariana C. Yang, da ASBAI/SP, explica que não é necessário restringir a ingestão de peixes, pois são alergias independentes.

Mas ficar atento aos pratos preparados com molhos, pois podem conter frutos do mar.

Alergia a camarão é a mais comum e grave entre adolescentes e adultos, podendo causar tanto:

  • Reações Leves como Coceira, Vermelhidão e Urticária na Pele;
  • Reações Graves como Anafilaxia com Dificuldade de Respirar, Pressão Baixa, etc.

Os alérgicos a frutos do mar deve tomar todos os cuidados para não ter contato com alimentos que possam conter a proteína alimentar que causa alergia.

Mas, em caso de emergência, deve seguir as orientações médicas sobre como agir.

Não é possível prever se uma pessoa possa desenvolver alguma alergia no futuro, por isso, caso apresente algum sintoma alérgico, interrompa o consumo do alimento e procure auxílio médico.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Alérgenos Alimentares no Rótulo – ASBAI

alergica-e-produzida-rotulagem-dos-alimentos

Alérgenos Alimentares no Rótulo, ASBAI: Estamos quase lá! No dia 6 de maio, a Anvisa, realizou audiência pública para discutir com a sociedade a rotulagem de alergênicos.

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-molho-camarao-lupa-no-rotulo-alergenos

A reunião contou com a participação de diversos setores da sociedade, como cidadãos.

Em especial, famílias de alérgicos, representantes da campanha Põe no Rótulo, representantes de diversas indústrias, a OAB e a Secretaria de Defesa do Consumidor.

ASBAI

ASBAI também esteve presente para ouvir e discutir a posição da Anvisa, que analisou as respostas da sociedade à consulta pública.

A consulta realizada em novembro de 2014, bateu recordes de participação em comparação às demais consultas públicas.

No total, 3.531 participantes enviaram 5.475 contribuições, dentre elas o parecer da ASBAI, preparado pela Comissão de Alergia Alimentar.

Esta participação surpreendente da população é o reflexo da importância do tema alergia alimentar.

Vivemos uma realidade onde se observa aumento crescente das alergias alimentares, que ficam mais persistentes e graves.

Assim, cresce o tamanho da população que necessita de controle rigoroso de contato com alérgenos alimentares, seja através de alimentos, cosméticos ou medicamentos.

Entretanto, sem garantir a informação correta e clara sobre a presença de alérgenos em produtos industrializados, os pacientes ficam em risco de reações por exposições inadvertidas.

Anvisa

Focou a regulamentação nas alergias mais prevalentes e com potencial de causar reações graves, como anafilaxia.

Por isso, o texto prevê regras para oito principais categorias de alergênicos:

  • Leite;
  • Ovos;
  • Amendoim, Nozes, Soja;
  • Trigo, Centeio, Aveia, Cevada;
  • Crustáceos, Peixes;
  • Látex natural, presente em luvas de manipulação e embalagens de alimentos.

Antes da publicação da norma, a Anvisa ainda receberá propostas de adequação e/ou modificação de pontos específicos da proposta.

Segundo o relator da proposta de regulamento, diretor Renato Porto, a expectativa é que a norma seja publicada ainda no primeiro semestre.

Será negociado um prazo para as indústrias se adaptarem à regulamentação, pois “colocar a informação no rótulo” não é um processo simples.

Será necessário um esforço muito grande e urgente das indústrias para mudanças na produção, implantação de técnicas e análises laboratoriais que detectam alérgenos alimentares.

Esperamos que, em breve, nossos pacientes, com alergias alimentares, alcancem o direito de comprar e comer alimentos com mais liberdade e segurança.

Será uma grande vitória da sociedade, das famílias, uma vitória nossa! Estamos quase lá!

* Ariana C Yang: diretora da ASBAI-SP e responsável pelo Ambulatório de Alergia Alimentar do Hospital das Clínicas de SP.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Os benefícios do Ovo

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-ovo-brancos-galinha

Os benefícios do Ovo: Durante muito tempo foi visto como um vilão e não fazia parte de uma dieta saudável, uma vez, que apresenta Colesterol em sua gema.

Os benefícios do Ovo

Com novos estudos científicos ficou claro que o colesterol presente nos alimentos exerce pouca influência sobre a concentração do colesterol no sangue.

Sendo o ovo é uma excelente fonte de proteínas de alto valor biológico.

Em sua clara há uma composição completa de Aminoácidos (formam a Proteína) e estes estão muito disponíveis para o organismo.

Além da qualidade da proteína, o Ovo possui Vitaminas do Complexo B, A, D, E, K, Minerais, Zinco, Cálcio, Selênio, Fósforo e Ferro.

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-ovos-marrom-galinha

Tipos de Ovos

Porém, apesar de ser um alimento com alto teor de nutrientes, algumas considerações devem ser feitas sobre do consumo dos ovos.

De preferência ao Ovo Caipira e Orgânico, por conter, maior teor de nutrientes.

Desta forma, os ovos devem fazer parte da alimentação das pessoas, com exceção apenas dos intolerantes e alérgicos ao alimento.

Os Diabéticos não devem consumir ovos acima de 3 vezes por semana.

Evite consumir ovos fritos, pois são usados os óleos vegetais hidrogenados, que possuem gordura trans.

Prefira o alimento cozido, na forma de Omeletes, Mexidos ou Panquecas.

Texto enviado pela Nutricionista e consultora, Paola Nunes.

Bjss!! 😉

Veja Mais
AlergiasNutrição

Biomassa de Banana Verde

alergica-e-produzida-banana-verde

Biomassa: A banana verde é rica em carboidratos, vitaminas, minerais e nutrientes. Ajuda o sistema circulatório, as funções cerebrais e protege os ossos.

Banana Verde

Excelente fonte de energia, fibra alimentar e compostos fenólicos – grupo de antioxidantes que previnem o envelhecimento precoce. É bem consumida entre os praticantes de atividade física, pois evita a fadiga muscular durante o treino. A fruta também possui triptofano – aminoácido precursor da serotonina, o neurotransmissor relacionado ao prazer e bem estar, por isso contribui para a melhora da insônia, auxilia na redução do estresse e da irritabilidade e alivia os sintomas da TPM. Quando madura, a banana contém uma quantidade pequena de amido e grande quantidade de açúcares, por isso, um alimento com elevado valor energético. Desta forma, quem quer emagrecer deve consumir a fruta madura com moderação.

 Superalimento
alergica-e-produzida-alergias-nutricao-bananas-verdes

Principalmente quando cozida, a fruta é eleita como superalimento, pois possui um nutriente, chamado amido resistente que, após ter sido digerido pelas enzimas gástricas, chega ao intestino grosso com suas moléculas inteiras, onde é fermentado e depois eliminado pelo bolo fecal junto com parte da gordura e do açúcar consumidos nas refeições.

Esse nutriente favorece a integridade da mucosa contribuindo para a correta absorção dos nutrientes. Por apresentar baixo índice glicêmico, a banana verde é capaz de prevenir o desenvolvimento do diabetes tipo 2, atuar na redução do colesterol, no acúmulo de gordura corporal, na prevenção de doenças cardíacas e forma uma barreira possível de prevenir a entrada de invasores como: diarreias, obstipação e até o câncer.

Além de todos esses benefícios, é uma grande aliada para quem quer emagrecer de forma saudável, pois o açúcar é distribuído lentamente pelo corpo evitando picos de insulina e contribuindo para a sensação de saciedade.

Biomassa

A   é o purê da banana verde 100% natural, sem sabor que age como Espessante, sendo utilizada em diversas preparações culinárias substituindo Creme de Leite, Leite Condensado, Maionese e Farinhas. A Biomassa pode ser encontrada em lojas de produtos naturais em forma integral, polpa ou como farinha. Texto da Nutricionista Funcional, Paola Nunes.

Receita: Brigadeiro

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-biomassa-bananas-verdes-receitas-brigadeiro-paola-nunesIngredientes:

2 colheres (sopa) biomassa de banana verde;

1 colher (sopa cheia) cacau em pó;

1 colher (sopa) açúcar demerara;

3 colheres (sopa) bebida vegetal;

1 colher (chá) manteiga ghee ou óleo de canola;

Modo de Preparo: Aquecer uma panela antiaderente e acrescentar a manteiga ghee/óleo, a biomassa, a bebida vegetal, o açúcar e o cacau. Mexer sempre, até formar uma massa homogênea e que desgrude fácil da panela. Para enrolar, passar ½ colher (café) manteiga ghee/óleo na mão, fazer bolinhas com a massa e depois passar no cacau em pó.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Batata Doce: o carboidrato ideal

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-batata-doce-carboidrato

A batata doce é o carboidrato ideal para as dietas de emagrecimento, restrições ao glúten e para garantir maior energia ao metabolismo dos atletas, por ser rica em proteínas e ter baixo índice glicêmico.

O tubérculo possui boas doses de minerais – manganês, magnésio, cálcio, fósforo e potássio, é excelente fonte de Vitamina A, que contribui para a saúde dos olhos, pele e sistema imunológico.

O alimento é composto principalmente por amido, por isso, pode substituir o arroz ou macarrão nas refeições. Além disso, a batata doce ajuda para o bom funcionamento do intestino, por ser rica em fibra alimentar insolúvel.

Diferente dos grãos e farinhas brancas, ela prolonga a sensação de saciedade, libera energia para o organismo aos poucos, evitando picos de glicose, prevenindo doenças como obesidade, envelhecimento precoce e diabetes.

Batata Doce X Batata Inglesa

As diferenças entre as batatas vão do sabor ao índice glicêmico. Enquanto a batata inglesa tem um alto índice glicêmico IG = 70, que eleva rapidamente o açúcar no sangue, a batata doce possui um índice glicêmico muito menor IG = 48, que evita a rápida elevação da insulina.

Mesmo sendo saudável, é importante lembrar que o consumo em excesso de batata doce, será armazenado na forma de gordura. Por isso a porção ideal por refeição deve ter a medida da palma de sua mão e ser combinado com vegetais folhosos verdes, de preferência crus e mais 2 ou 3 variedades de legumes com cores diferentes.

Boas sugestões são: acelga, alface, agrião, rúcula, couve, abóbora, abobrinha, chuchu, cenoura, beterraba, couve flor, brócolis, etc. Matéria e Receita da Nutricionista Funcional, Paola Nunes.

Receita: Pão de Queijo

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-batata-doce-receita-pao-de-queijo100 g de batata doce cozida;

2 ovos;

2 claras;

50 ml de água;

150 g de ricota de tofu;

sal a gosto;

200 g de polvilho azedo;

1 colher (sopa) de fermento em pó;

1 colher (sopa) de semente de chia;

Modo de Preparo:

Liquidifique a batata doce, a ricota de tofu, a água, os ovos, as claras e o sal. Quando a massa estiver numa consistência cremosa, agregue os demais ingredientes e liquidifique até que todos os ingredientes estejam homogêneos.

Modele a massa em bolinhas do tamanho de sua preferência, distribua-os numa assadeira untada com azeite, deixando um espaço entre eles. Leve ao forno pré-aquecido por 30 minutos ou até os pães estejam dourados.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Tapioca: Alternativa saudável

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-tapioca-paola-nunes-alimento

Tapioca, Alternativa saudável! Muito comum no Norte e Nordeste, está cada dia mais popular no Brasil e uma boa opção para dietas restritivas ao glúten.

Origem

O Brasil é um dos grandes cultivadores da mandioca, de onde é produzida a farinha de mandioca e a fécula, principal ingrediente da tapioca, de origem indígena.

Outro motivo que vem fazendo cada vez mais pessoas substituir o consumo de pães e bolos feitos com farinha de trigo pela tapioca é por ser um alimento barato, fácil de fazer e versátil em receitas.

Doce ou Salgada

     Na utilização tradicional, semelhante a panqueca os recheios podem ser salgados ou doces. Com a massa também é possível fazer bolos, pizzas e sobremesas.

Mas, por ser um carboidrato, tem um  índice glicêmico alto, que significa que eleva o açúcar (glicemia) rapidamente na corrente sanguínea.

Por isso, o ideal é agregar fibras na preparação do alimento, por exemplo: chia, linhaça, cacau ou canela, alimentos que reduzirão a quantidade de glicose absorvida no organismo. Matéria e Receita da Nutricionista Funcional, Paola Nunes

Receita: Tapioca com queijo de cabra e damasco

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-tapioca-queijo-cabra-damasco-receitas-paola-nunes
Ingredientes:
  • Goma de tapioca hidratada;
  • Queijo de Cabra a gosto;
  • Damasco a gosto;
Modo de Preparo: 
Aqueça uma frigideira antiaderente, coloque a goma de tapioca já hidratada (verificar no rótulo se precisa hidratar).
Aguarde formar uma massa homogênea e com liga e acrescente o recheio: queijo de cabra e damasco!
Veja Mais
AlergiasNutrição

Alergia e Intolerância ao Glúten

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-gluten-free-paola-nunes

Alergia e Intolerância ao Glúten! O alimento tem a característica alguma fração proteica de difícil digestão. relacionados às reações adversas tardias.

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-gluten-trigo-paola-nunes

A fração proteica presente nos cereais como o trigo, centeio, cevada e no plantio cruzado entre esses cereais e a aveia – esta que pode conter traços de glúten.

Aveia

Sobre a aveia vale uma ressalva, geralmente o plantio destes cereais, visando manter a terra fértil, é feito a partir de um sistema de rotação, ou seja, planta-se no mesmo terreno a aveia, depois o trigo, depois o centeio e retorna ao plantio da aveia.

Desta forma, podem ocorrer resquícios no solo de trigo ou centeio, que contêm o glúten. Para pessoas que apresentam doença Celíaca, o mais indicado seria consumir aveia que possua informações de que aquela aveia não está contaminada pelo glúten (existem marcas com essa característica no mercado).

Porém, para as pessoas que apresentam apenas intolerância ou incompatibilidade alimentar ao glúten, esta pequena contaminação de glúten muito provavelmente não desencadeará reações no organismo.

Da mesma forma que comentamos sobre as ações da proteína do leite de vaca no organismo, o glúten também causará um desequilíbrio na mucosa, prejudicando a absorção de nutrientes e podendo gerar sintomas em diferentes órgãos.

O Glúten e as Doenças Autoimunes

Muito tem se investigado atualmente sobre a relação do glúten e as doenças autoimunes. Para investigar se há incompatibilidade alimentar em relação ao glúten é necessário procurar por médico Gastroenterologista para realizar uma pesquisa clínica, através de análise de sinais, sintomas, exames, sempre associando essa pesquisa ao acompanhamento nutricional.

Muitas vezes, os exames laboratoriais podem ter resultado “Negativo”, mas na prática clínica, quando a pessoa digere mal estes alimentos e tem sintomas relacionados à essa proteína, após um período de exclusão e dessensibilização do sistema imunológico, os sintomas diminuem e o consumo esporádico destes cereais passa a ser tolerado.

É muito importante ter um acompanhamento individual para que a retirada de determinados alimentos seja feita de forma consciente e correta para que se evite restrições desnecessárias e a não solução dos sintomas. Matéria e Receita da Nutricionista, Paola Nunes.

Brownie de Chocolate: 0% Glúten

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-gluten-receita-brownie-paola-nunesIngredientes:

2 xícaras (chá) de bebida vegetal;

2 ovos caipiras;

2 xícaras (chá) de farinha de arroz;

1 xícara (chá) de semente de chia ou farinha de chia;

1 xícara (chá) de açúcar demerara;

1 colher (sopa) fermento em pó;

1 xícara (chá) de cacau em pó.

Modo de Preparo:

Bater as claras em neve. Em outro recipiente misturar as gemas, o açúcar, a farinha de arroz, a chia e o cacau.

Misturar bem com uma colher. Acrescentar a bebida vegetal misturar bem com uma colher, quando o liquido já estiver bem misturado às farinhas levar para a batedeira.

Acrescentar as claras em neve. Por último acrescente o fermento. Misture. Deixe a massa descansar, enquanto unta a forma com 1 colher (café) manteiga, farinha de arroz e canela em pó. Tempo estimado de forno 40 minutos em 180° a 200° C.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Os alimentos para aproveitar o Carnaval

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-alimentos-carnaval-confetti-paola-nunes

      Os alimentos para aproveitar o Carnaval! A galera não vê a hora de cair na folia. E, para curtir os dias de folia, o texto dá dicas para garantir maior disposição e energia.

Bons alimentos para consumir dias antes do Carnaval:

Proteínas Magras – carnes magras, frango sem pele, peixes, queijo branco ou mussarela, iogurtes desnatados etc. Carboidratos Integrais, em pequenas quantidades.

Fontes de Gorduras Saudáveis – açaí, abacate, castanhas e azeite (quantidades moderadas), Legumes e Verduras. 3 Frutas ao dia. Bebidas para manter a hidratação.

É importante fazer uma refeição a cada 3 horas.

Bons alimentos para consumir durante os dias de Carnaval:

Carboidratos Integrais e fontes de Proteínas – queijo branco e mussarela, carnes brancas, legumes e verduras. Os alimentos leves e fontes de carboidratos, possuem uma digestão rápida e repõem as nossas reservas de energia.

Queijos devem ser consumidos frios, as carnes brancas, legumes e verduras devem ser cozidos ou assados para manter a digestão mais rápida.

Evitar: Alimentos com alto teor de Gordura, como: Frituras, Queijos Amarelos e Embutidos: Linguiça, Bacon, Presunto, Salame, Salsicha etc. Pois esses alimentos fazem uma digestão lenta podem causar indisposição. Matéria da Nutricionista Funcional, Paola Nunes.

Receita: Açaí Caseiro

alergica-e-produzida-nutricao-receita-acai-caseiro-paola-nunesIngredientes:

1 Banana bem madura;

50g de Polpa de Açaí;

30 ml de Bebida Vegetal;

1 colher (sopa) Colágeno Hidrolisado sem sabor;

1 colher (café) Mel ou Açúcar Demerara (*opcional).

Liquidificar todos os ingredientes.

Veja Mais
AlergiasNutrição

A importância da hidratação

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-bebidas-copo-agua-paola-nunes
A importância da hidratação! Essencial para o bom funcionamento do corpo. Recomenda-se a ingestão diária de água: 3,7 L homem e 2,7 L mulher.

A quantidade de hidratação

 A quantidade de hidratação ideal de água que deve ser consumida é determinada de acordo a fatores como idade, peso, estatura, ambiente e nível de atividade física.
Estudos mostram que quando temos a sensação de sede já iniciamos o processo de desidratação.
Ou seja, não se deve esperar sentir sede para beber água, o correto é consumir um pequeno volume, com uma frequência bem distribuída ao longo do dia.
Um bom modo de iniciar a hidratação adequada ao dia é tomar um pouco de água logo cedo, quando acordar, antes do café da manhã.
E fracionar o volume de líquido ao longo do dia. Vale ressaltar que fracionar o volume de líquido significa consumir pouco volume de água várias vezes ao dia.
Isto porque a filtração realizada pelos rins pode sofrer interferência de um grande volume de água consumido de uma vez só, o que deixa o meio muito diluído e, desta forma, a reabsorção de certos nutrientes pode ser prejudicada.
Outra ressalva é em relação ao momento do consumo, que não deve ser concomitantemente à refeição, uma vez que o líquido dilui o suco gástrico e prejudica a digestão.

Líquido + Refeição= barriga!?

Há pessoas que sentem a saciedade apenas quando têm a sensação de plenitude gástrica, ou seja, necessitam sentir “que a barriga está cheia”.
Nestes casos, o líquido contribui para essa sensação de preenchimento total.
Não seria o líquido o responsável pela barriga maior, mas sim por prejudicar o modo com o qual a pessoa sente que está saciado.
Este processo deveria ocorrer após a mastigação adequada, que promove a liberação de substâncias que indicam para o cérebro que pode cessar o consumo de alimentos.

Dicas que te ajudam beber mais água:

  • Colocar o celular para despertar a cada meia hora para lembrá-la de beber água;
  • Use um copo pequeno (50 ml), junto com a garrafa, contendo o volume de água que deverá ingerir ao longo do dia todo.

Assim, o consumo será pequeno, mas você conseguirá cumprir a “meta” de volume de água por dia;

  • Outra alternativa é preparar cubinhos de gelo com hortelã, fatia de lima da pérsia, ou limão e adicioná-los a água.

Assim, ao longo do dia a água ficará com um leve sabor.

Receita: Águas Aromatizadas

alergica-e-produzida-nutricao-alergias-bebidas-agua-hidratacao-verao-paola-nunes

  • com Laranja: Lave bem e seque todos os ingredientes. Numa tábua, fatie 1 laranja em rodelas finas.

Numa jarra, junte com 1 rama de canela, 10 folhas de hortelã e 1 litro de água gelada, misture bem. Sirva gelado.

  • com Romã: Encher metade de uma jarra com gelo, colocar as folhas de hortelã, espremer as duas metades do limão siciliano sem as sementes.

Colocar a água natural ou com gás e depois espremer a 1 romã da mesma forma que fez com limão.

Misturar bem e o refresco está pronto para servir.

  • Refrescante: Levar as 5 cerejas sem caroço e 1 pêssego fatiado ao congelador.

Coloque 500 ml de água de coco na geladeira por 4 horas no mínimo.

Em uma taça colocar a água de coco gelada e as frutas congeladas. Decorar com folhas de hortelã e servir em seguida.

Texto enviado pela Nutricionista Funcional, Paola Nunes.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Alimentação durante o verão

alergica-e-produzida-nutricao-alergias-alimentacao-verao-paola-nunes

Alimentação durante o verão! É comum sentir menos fome durante o verão. Mas, para manter a saúde, é ideal se alimentar, em intervalos de até 4 horas.

A alimentação para o verão

Nesta época, é interessante compor as refeições optando por alimentos de fácil digestão, como: Saladas, Frutas, Legumes e Cereais Integrais.

     Caso esteja de férias, é importante ficar atento aos “beliscos” fora de hora e aos petiscos altamente calóricos, disponíveis em quiosques e padarias. O mais saudável é levar o lanche de casa para a praia, ou para o momento de passeio.

Isto porque as lanchonetes de determinados locais dificilmente oferecem opções alimentares saudáveis, apresentando alimentos pouco nutritivos e com alto teor de gordura. 

Dicas:

– Levar aos passeios frutas e legumes, já higienizados e cortados em pedaços. Para melhor armazená-los é o ideal é levar em uma bolsa térmica ou isopor;

– Evite levar e/ou consumir alimentos que estragam fácil, tais como, maionese, queijos e presunto;
– Evite opções de lanches com alto teor de gordura, tais como, pastéis, patês, sorvetes de massa, salgadinhos de pacote e amendoins;
– Há boas opções de água de coco sem conservantes e sucos sem adição de açúcar, que podem ser transportados.

Com esses cuidados é possível manter uma dieta equilibrada mesmo durante as férias, evitar o ganho de quilinhos a mais e complicações na saúde. Afinal, férias é um período de descanso sim, mas a saúde e o bem estar devem ser prioridade, sempre!

Receita: Patê de Abacate com Azeitonas Pretas

alergica-e-produzida-nutricao-alergias-alimentos-verao-azeitona-abacate-receita-pate-paola-nunesIngredientes:

½ Abacate;

5  Azeitonas Pretas sem Caroço Picadas;

1   Colher (café) de Azeite;

1   Colher (sopa) de Suco de Limão;

1   Colher (café) de Pimenta do Reino;

Manjericão à gosto;

Modo de Preparo:

Amasse o abacate com auxílio de um garfo. Acrescente as azeitonas picadas, o azeite, o suco de limão, o manjericão picadinho, a pimenta do reino e mexa bem. Deixe refrigerar, passe nas fatias de pão integral, embale e transporte em bolsa térmica para manter os sanduíches refrigerados antes de servir.

Obs: Não há necessidade de adicionar sal caso a azeitona utilizada na receita venha conservada na salmoura.

 

Veja Mais
1 2 3
Page 1 of 3