close

Alergias

AlergiasDermatologia

Cuidados com os Cílios

alergica-e-produzida-imagem-pixabay-cilios

Cuidados com os Cílios: percebi depois de um tempo usando máscara, alguns fios quebrados, menos volume e a raiz dolorida dos meus cílios.

Pesquisei e vi, outras mulheres também já tiveram esse problema.

Vocês já tiveram esses sintomas? Sabem como cuidar da saúde dos seus cílios? A Dra. Aline Pucci dá dicas para cuidar e manter a beleza dos cílios.

Qual a função dos cílios?

alergica-e-produzida-imagem-pixabay-ciliosEsses pelos protegem os olhos das impurezas do ambiente. A perda desses pelos aumenta o risco de doenças e lesões nos olhos.

Os cílios possuem ciclos de crescimento e queda. A queda do fio é seguida pelo nascimento de um novo pelo.

Algumas doenças infecciosas, alérgicas, autoimunes, etc podem desequilibrar esse ciclo, causando a perda temporária ou definitiva dos cílios.

Porém, a principal causa de queda de cílios é o uso inadequado das máscaras ciliares (rímel).

Mesmo ainda sem comprovação científica, acreditamos que alguns ativos utilizados nas máscaras podem causar o enfraquecimento ou queda dos pelos.

Cuide dos cílios e não abandone a maquiagem

alergica-e-produzida-imagem-pixabay-mascara-de-cilios1. Prefira Máscaras de Cílios Hipoalergênicas livres Parabenos.

O contato diário com essa substância, pode induzir uma dermatite de contato e coceira, com enfraquecimento e queda dos pelos. Podem ser nocivos, principalmente para pacientes já portadores de algum tipo de alergia.

Parabenos podem ser identificados nos rótulos como: Methylparaben, Ethylparaben, Propylparaben e Butylparaben.

2. Use Demaquilantes para a Área dos Olhos Hipoalergênicos para retirar a máscara de cílios.

Prefira os produtos sem álcool, para evitar ardor e irritação. O xampu para Blefarite também é uma boa opção.

Blefarite: doença inflamatória que ocorre nas pálpebras.

alergica-e-produzida-mulher-algodao-demaquilante-pele3. Sempre que usar Máscara à Prova D’água

escolha um demaquilante adequado para esse tipo de maquiagem.

4. Jamais durma maquiada!

O acúmulo do produto nos olhos causa obstrução da abertura dos folículos pilosos.

A obstrução pode causar o desequilíbrio no ciclo de crescimento dos cílios ou terçol.

Terçol: inflamação de glândulas localizadas nas pálpebras.

alergica-e-produzida-imagem-pixabay-cilios-posticos5. Use Cílios Postiços somente em ocasiões especiais, pois a cola fragiliza os fios naturais.

6. Tenha cuidado ao usar o Curvex.

Sempre utilizando antes de aplicar a máscara para evitar a quebra dos fios.

Mantenha o aparelho sempre limpo e troque a borrachinha de tempos em tempos.

Nunca use produtos para crescimento dos cílios sem consultar o seu médico. Algumas substâncias de uso tópico possuem bons efeitos, porém, como toda medicação, não estão livres de efeitos adversos. Procure sempre a orientação de um dermatologista.

Dra. Aline Pucci é dermatologista com especialização em dermatologia estética e consultora do blog.

Veja Mais
AlergiasDermatologia

Os cuidados da Pele durante o Inverno

alergica-e-produzida-mulher-inverno-cuidados-com-a-pele

Os cuidados da Pele durante o Inverno: A baixa umidade do ar provoca ressecamento da pele, e pode desencadear ou piorar uma série de Doenças Dermatológicas.

Por isso a Dra Aline Pucci, dá dicas com cuidados preventivos para pele.

A Pele no Inverno

Durante o inverno, a transpiração do corpo diminui.

Os banhos mais quentes, reduzem a oleosidade natural e o manto lipídico protetor, com perda do equilíbrio cutâneo.

Pessoas com peles sensíveis podem ter coceiras localizadas ou generalizadas, manchas e escamação provocadas pelo ressecamento da pele.

O ressecamento dos lábios podem causar, rachaduras, ardor, etc.

Uma pele saudável e bonita durante o inverno, precisa  lutar contra a perda do equilíbrio cutâneo e adotar alguns cuidados específicos.

Segredos da hidratação intensa no inverno

alergica-e-produzida-cuidados-com-a-pele

Corpo – É importante caprichar na hidratação, pelo menos 1 vez ao dia.

O ideal é hidratar a pele ainda úmida até 3 minutos após o banho, aproveitando aquele vapor que fica no banheiro.

Os cremes ou loções para peles extra-secas são mais potentes e boas opções para a hidratação durante o inverno.

Ingredientes como: Ureia, Vaselina, Silicone, Óleos Vegetais, Ácido Hialurônico ou Lactato de Amônio são exemplos de ativos utilizados na formulação de hidratantes.

ATENÇÃO!!! Pessoas alérgicas ou com doenças de pele devem consultar um médico.

As peles mais sensíveis e machucadas podem não suportar, por exemplo, produtos à base de Ureia.

Rosto – Cada parte do corpo tem necessidades diferentes, por isso prefira produtos específicos para pele do rosto.

Pessoas com tendências a acne e de pele oleosa devem sempre preferir produtos Oil-Free. e que possua Vitamina C.

Os alfa hidroxiácidos ajudam manter a pele saudável e viço durante o inverno.

Lábios – A pele dos lábios é muito sensível ao frio, por isso, use várias vezes ao dia batons hidratantes ou hidrantes labiais, à base de manteigas de Karité, Cacau ou Cupuaçu.

Beber água, mantém os lábios sempre úmidos e evita rachaduras.

Evite lamber os lábios, pois a saliva evapora rápido e contém enzimas digestivas que agride a membrana que protege a boca.

Em alguns casos, pode desencadear a “dermatite do lambedor do lábio”, com escamação, vermelhidão e coceira.

Mucosa do Nariz – É outra área muito sensível e muitas pessoas apresentam fissuras com dor e sangramento.

Uma pequena quantidade de cremes cicatrizantes e hidratantes, como pomadas à base de Dexpantenol usada várias vezes nas fossas nasais evita o problema.

Pacientes com problemas respiratórios podem necessitar de auxílio médico.

Alimentos e Líquidos auxiliam a Hidratação Cutânea

Beber água é super importante e não deve ser reduzido durante o inverno.

A ingestão hídrica de um adulto saudável é cerca de 2 litros ao dia.

Chás, Sucos Naturais, Frutas, Legumes e Hortaliças devem estar no cardápio durante a estação, mesmo que o paladar queira mais os carboidratos.

Manter uma dieta balanceada em todas as estações do ano evita grande parte dos problemas de pele que podem aparecer no inverno.

A Dermatite Atópica, Dermatite Seborreica, Psoríase, Ictiose e outras afecções, tendem a piorar nesse período e necessitam de orientação médica.

Dra Aline Pucci, dermatologista e consultora do Alérgica e Produzida.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Alergia a Frutos do Mar

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-frutos-do-mar-crustaceos

Alergias a Frutos do Mar gera muitas dúvidas, por isso, o Biomédico Fabio Griciunas, especialista em Alergia Alimentar e a ASBAI – Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, esclarece esse assunto.

Intolerância Alimentar ou Alergia Tardia

alergica-e-produzida-alergias-a-frutos-do-mar

É um processo imunológico onde frações ou macromoléculas de alimentos mau digeridos inflamam a mucosa intestinal, desequilibram a flora bacteriana intestinal e aumentam a permeabilidade e entram na circulação.

Essas substâncias ou fragmentos de proteínas são reconhecidos pelo sistema imunológico como substâncias estranhas ou agressoras e combatidos pelo sistema imunológico através de anticorpos específicos para o alimento.

Os alérgenos alimentares mais comuns responsáveis por até 90% de todas as reações alérgicas são as Proteínas do Leite de Vaca, Ovo, Amendoim, Trigo, Soja, Peixe, Frutos do Mar e Nozes.

Os alimentos podem provocar reações cruzadas, ou seja, alimentos diferentes podem induzir respostas alérgicas semelhantes no mesmo indivíduo. O paciente alérgico ao camarão pode não tolerar outros crustáceos.

Da mesma forma, pacientes alérgicos ao amendoim podem também apresentar reação ao ingerir a soja, ervilha ou outros feijões.

As reações de hipersensibilidade a ingestão de mariscos constituem uma das alergias alimentares mais frequentes nos adultos. A maioria são alergias múltiplas a Mariscos, tais como a Lagosta, Caranguejo e Camarão.

Os indivíduos podem desenvolver Urticária, Angioedema, Asma e quadros de Anafilaxia. Foi demonstrada a presença de antígenos termoestáveis e termolábis no camarão.

Em estudos recentes, foi identificada como o alérgeno do camarão uma proteína muscular a tropomiosina.

**Alérgicos a camarão tem 85% de chances de reagir a outros frutos do mar. 

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-molho-camarao-frutos-do-marEspecialista alerta para os cuidados com pratos que contem molhos!!

Alergia a camarão está entre as principais queixas de alergias alimentares, e para quem sofre com esse tipo de alergia precisa ficar atento, já que a chance de se desenvolver reações a outros frutos do mar, como Lagosta, Siri, Caranguejo, Mexilhão e Ostra, aumenta em 85%.

No caso de moluscos, como Lula e Polvo, o risco sobe para 35%.

A Dra Ariana C. Yang, da ASBAI/SP, explica que não é necessário restringir a ingestão de peixes, pois são alergias independentes.

Mas ficar atento aos pratos preparados com molhos, pois podem conter frutos do mar.

Alergia a camarão é a mais comum e grave entre adolescentes e adultos, podendo causar tanto:

  • Reações Leves como Coceira, Vermelhidão e Urticária na Pele;
  • Reações Graves como Anafilaxia com Dificuldade de Respirar, Pressão Baixa, etc.

Os alérgicos a frutos do mar deve tomar todos os cuidados para não ter contato com alimentos que possam conter a proteína alimentar que causa alergia.

Mas, em caso de emergência, deve seguir as orientações médicas sobre como agir.

Não é possível prever se uma pessoa possa desenvolver alguma alergia no futuro, por isso, caso apresente algum sintoma alérgico, interrompa o consumo do alimento e procure auxílio médico.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Alérgenos Alimentares no Rótulo – ASBAI

alergica-e-produzida-rotulagem-dos-alimentos

Alérgenos Alimentares no Rótulo, ASBAI: Estamos quase lá! No dia 6 de maio, a Anvisa, realizou audiência pública para discutir com a sociedade a rotulagem de alergênicos.

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-molho-camarao-lupa-no-rotulo-alergenos

A reunião contou com a participação de diversos setores da sociedade, como cidadãos.

Em especial, famílias de alérgicos, representantes da campanha Põe no Rótulo, representantes de diversas indústrias, a OAB e a Secretaria de Defesa do Consumidor.

ASBAI

ASBAI também esteve presente para ouvir e discutir a posição da Anvisa, que analisou as respostas da sociedade à consulta pública.

A consulta realizada em novembro de 2014, bateu recordes de participação em comparação às demais consultas públicas.

No total, 3.531 participantes enviaram 5.475 contribuições, dentre elas o parecer da ASBAI, preparado pela Comissão de Alergia Alimentar.

Esta participação surpreendente da população é o reflexo da importância do tema alergia alimentar.

Vivemos uma realidade onde se observa aumento crescente das alergias alimentares, que ficam mais persistentes e graves.

Assim, cresce o tamanho da população que necessita de controle rigoroso de contato com alérgenos alimentares, seja através de alimentos, cosméticos ou medicamentos.

Entretanto, sem garantir a informação correta e clara sobre a presença de alérgenos em produtos industrializados, os pacientes ficam em risco de reações por exposições inadvertidas.

Anvisa

Focou a regulamentação nas alergias mais prevalentes e com potencial de causar reações graves, como anafilaxia.

Por isso, o texto prevê regras para oito principais categorias de alergênicos:

  • Leite;
  • Ovos;
  • Amendoim, Nozes, Soja;
  • Trigo, Centeio, Aveia, Cevada;
  • Crustáceos, Peixes;
  • Látex natural, presente em luvas de manipulação e embalagens de alimentos.

Antes da publicação da norma, a Anvisa ainda receberá propostas de adequação e/ou modificação de pontos específicos da proposta.

Segundo o relator da proposta de regulamento, diretor Renato Porto, a expectativa é que a norma seja publicada ainda no primeiro semestre.

Será negociado um prazo para as indústrias se adaptarem à regulamentação, pois “colocar a informação no rótulo” não é um processo simples.

Será necessário um esforço muito grande e urgente das indústrias para mudanças na produção, implantação de técnicas e análises laboratoriais que detectam alérgenos alimentares.

Esperamos que, em breve, nossos pacientes, com alergias alimentares, alcancem o direito de comprar e comer alimentos com mais liberdade e segurança.

Será uma grande vitória da sociedade, das famílias, uma vitória nossa! Estamos quase lá!

* Ariana C Yang: diretora da ASBAI-SP e responsável pelo Ambulatório de Alergia Alimentar do Hospital das Clínicas de SP.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Os benefícios do Ovo

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-ovo-brancos-galinha

Os benefícios do Ovo: Durante muito tempo foi visto como um vilão e não fazia parte de uma dieta saudável, uma vez, que apresenta Colesterol em sua gema.

Os benefícios do Ovo

Com novos estudos científicos ficou claro que o colesterol presente nos alimentos exerce pouca influência sobre a concentração do colesterol no sangue.

Sendo o ovo é uma excelente fonte de proteínas de alto valor biológico.

Em sua clara há uma composição completa de Aminoácidos (formam a Proteína) e estes estão muito disponíveis para o organismo.

Além da qualidade da proteína, o Ovo possui Vitaminas do Complexo B, A, D, E, K, Minerais, Zinco, Cálcio, Selênio, Fósforo e Ferro.

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-ovos-marrom-galinha

Tipos de Ovos

Porém, apesar de ser um alimento com alto teor de nutrientes, algumas considerações devem ser feitas sobre do consumo dos ovos.

De preferência ao Ovo Caipira e Orgânico, por conter, maior teor de nutrientes.

Desta forma, os ovos devem fazer parte da alimentação das pessoas, com exceção apenas dos intolerantes e alérgicos ao alimento.

Os Diabéticos não devem consumir ovos acima de 3 vezes por semana.

Evite consumir ovos fritos, pois são usados os óleos vegetais hidrogenados, que possuem gordura trans.

Prefira o alimento cozido, na forma de Omeletes, Mexidos ou Panquecas.

Texto enviado pela Nutricionista e consultora, Paola Nunes.

Bjss!! 😉

Veja Mais
AlergiasDermatologia

Alergia ao Esmaltes

alergica-e-produzida-mulher-manicure-unhas

Alergia ao Esmaltes: Nesse texto a Dra Aline Pucci esclarece as várias dúvidas sobre os riscos, tratamentos e sintomas dessa alergia.

Alergia ao Esmaltes

alergica-e-produzida-mao-unhas-esmalte-vermelhoÉ uma Dermatite de Contato que evolve um processo de natureza imune, marcada por uma fase de Indução (sensibilização) e uma fase de Resposta (fase de lesão).

Isso quer dizer que, a dermatite não vai surgir no primeiro contato, mas sim quando ocorrer reexposição a uma substância à qual o indivíduo foi sensibilizado.

Essa sensibilização pode levar semanas, meses ou anos, e decorre do contato repetitivo com o agente irritante. Quando a pele torna-se hipersensível, ela começa a reagir sempre que é exposta novamente àquele produto, desencadeando lesões características.

É por esse motivo que você pode ter usado esmalte por um longo período e só depois ter desenvolvido a alergia.

Manifestações Alérgicas ao Esmalte

alergica-e-produzida-mulher-alergia-nos-olhos-peleAo contrário do que muitos pensam, a Dermatite por Esmalte não costuma causar lesões nas unhas ou cutículas.

O acometimento nas bordas das unhas pode ocorrer, porém é raro, sendo mais correlacionado às unhas de porcelana ou unhas de gel.

As alterações, na maioria das vezes, surgem nas áreas mais sensíveis da nossa pele, onde levamos a mão com frequência.

Caracterizam-se por: Inchaço nos Olhos (Pálpebras), Descamação, Vermelhidão e Coceira no Pescoço, Lábios e Orelhas. O Rosto é, sem dúvida, o local mais atingido.

 Os Vilões Alergênicos

alergica-e-produzida-esmaltes-diversos-alergia

Muitas substâncias são utilizadas na composição dos esmaltes, incluindo diferentes Resinas, Solventes, Diluentes e Corantes. Todas elas podem ser irritantes.

Entretanto, o principal vilão para as nossas unhas e, principalmente, para os pacientes alérgicos, é o Formaldeído, ou, especificamente, a Resina Toluenossulfonamida-Formaldeído (TSFR), presente em muitas marcas de esmaltes brasileiros.

Sua função é aumentar o brilho e aderência, e contribuir para que o esmalte dure mais tempo na unha. Entretanto, traz alguns inconvenientes.

A combinação do Tolueno (solvente) com o Formaldeído demonstrou ser o principal indutor de Dermatite de Contato Alérgica a EsmaltesOutro irritante que merece destaque é o Dibutilftalato (DBP). Trata-se de um plastificante utilizado para proporcionar maior durabilidade e também uma porcentagem de brilho.

Assim como o Formaldeído, é correlacionado à alergia e a uma série de efeitos nocivos a nossa saúde e, por isso, observa-se uma tendência mundial a retirar essas substâncias do mercado. O Formaldeído, por exemplo, já está Proibido nos Estados Unidos, Canadá e alguns países da Europa.

A legislação brasileira ainda não às proíbem no esmalte, se utilizadas nas concentrações recomendadas pela Anvisa.

Os Corantes, principalmente os Vermelhos, também são indutores de alergia, assim como alguns materiais de carga especial que são utilizados para conferir iridescência ao esmalte (propriedade que permite refletir as cores, o famoso “fruta-cor”).

Escamas de peixe de Guanina ou Flocos de Dióxido de Titânio revestido com Mica são exemplos de substâncias alergênicas presentes nos esmaltes Perolados e Cintilantes.

Tratando a Alergia

A conduta ideal ao perceber reação alérgica ao uso de esmalte é removê-los das mãos e dos pés, suspender o uso, inclusive das bases habitualmente utilizadas.

É imprescindível procurar ajuda médica, nesse caso, de segmento dermatológico, já que as lesões costumam atingir o rosto, região mais propensa aos efeitos colaterais dos Corticoides Tópicos.

É comum o profissional solicitar ao paciente fazer o Teste de Contato ou Patch, que aponta os componentes presentes nos produtos cosméticos provocam tais reações alérgicas. 

As Lesões são tratadas, em geral, com cremes a base de Cortisona e Hidratação. Antialérgicos Orais também fazem parte da abordagem.
As indústrias Cosméticas e Dermatológicas têm trabalhado de forma incansável na busca de soluções e alternativas para os pacientes alérgicos.

Desses esforços nasceram os primeiros Esmaltes Hipoalergênicos, os “3free” (esmaltes produzidos sem a presença das três principais substâncias indutoras de alergia: Tolueno, Formaldeído e Dibutilftalato).

Atualmente, podemos encontrar, Esmaltes Hipoalergênicos 4free, 5free, 7free e Esmaltes Vegan’s (Livres de ingredientes de origem animal).

É recomendável que os pacientes alérgicos procurem a composição no no rótulo ou maiores informações através dos sites das empresas. 

Referência BibliográficaSAMPAIO SPA, RIVITTI EA. Dermatologia. 3o ed. São Paulo: Artes médicas; 2008. 

WOLFF K, GOLDSMITH LA, KATZ SI, et al. Fitzpatrick’s Dermatology in General Medicine. 7th ed. New York: MacGraw Hill; 2011. 

BARAN R. Mitos e Sinais das Unhas – Scientific American BrasilDra Aline Pucci – Dermatologista.

Veja Mais
AlergiasDermatologia

Previna a Dengue – Entrevista com Sarah Lazaretti

alergica-e-produzida-mosquito-dengue

Se previna da Dengue, a Diretora da Alergoshop, Sarah Lazaretti: Esclarece as dúvidas sobre a contaminação pelo mosquito da dengue.

alergica-e-produzida-sarah-lazaretti-alergoshop-medo-dengue

A Dengue

AeP: O país está vivendo uma grande e séria epidemia de dengue. Principalmente em São Paulo cresce diariamente o número de casos. Nos explique os reais riscos ao contrair a doença. 

Ao contrair a doença, as pessoas podem sentir muito mal estar. No entanto, a grande preocupação é com a Dengue Hemorrágica, que geralmente aparece na segunda vez que o paciente é infectado pelo vírus. Ela é a que oferece mais riscos aos pacientes, já que a dengue hemorrágica não medicada corretamente pode levar ao óbito.

Sintomas

AeP: Quais os sintomas devem chamar nossa atenção para possibilidade de contaminação por dengue? 

A dengue se parece com uma gripe forte, por isso, em época de epidemia é bom ficar ligado nos sintomas e procurar atendimento médico o quanto antes. Os sintomas costumam aparecer de 3 a 7 dias após a picada do mosquito.  E, se iniciam com febre acima de 38º C que, algumas horas mais tarde, pode ser acompanhada de:

  • Dor de cabeça intensa;
  • Dor no fundo dos olhos;
  • Dor nas articulações;
  • Dor muscular em todo o corpo;
  • Tonturas, náuseas e vômitos;
  • Pintinhas vermelhas pelo corpo com ou sem coceira.

Assim, caso perceba febre acompanhada de um ou mais sintomas acima, é recomendado ir ao pronto-socorro ou consultar um clínico geral para diagnosticar o problema e iniciar o tratamento adequado.

Os Reais Riscos

AeP: Existem grupos com maior risco de morte caso tenha dengue?

Normalmente idosos, crianças pequenas e pessoas com algum tipo de debilidade de saúde devem receber um cuidado maior em caso de contaminação por dengue.

AeP: O contágio acontece uma única vez ou pode ser recorrente?

Pode ser recorrente, sendo que à medida que o paciente for infectado, mais graves podem ser os sintomas da doença.

AeP: Durante avaliação, que exame o médico pode solicitar para confirmar o diagnóstico de dengue? E em quanto tempo sai o resultado? 

O exame mais utilizado para identificar a dengue é o exame de sangue que avalia a presença de anticorpos para dengue no organismo. No entanto, em muitos casos o médico pode fazer o diagnóstico da doença apenas através da observação dos sintomas e avaliação do histórico do paciente. Alguns exames de sangue podem demorar até 3 dias para o resultado.

AeP: Caso o diagnóstico se confirme para dengue o que fazer para remediar a doença?

O tratamento da dengue é basicamente o uso remédios como o Paracetamol ou Dipirona para controlar a febre e diminuir as dores no corpo. Medicamentos com Ácido Acetil Salicílico NÃO podem ser utilizados, pois podem evoluir o quadro para Dengue Hemorrágica, já que ajudam a afinar o sangue. Além disso, é indicado beber muito líquido e fazer repouso para o corpo combater o vírus de forma eficiente.

Importante: estas dicas não suspendem a necessidade de avaliação médica, assim que observar os primeiros sintomas da doença.

Prevenção

AeP: Mesmo a maioria estando ciente, nos lembre quais cuidados adotar para impedir a proliferação do mosquito? 

Evite o acúmulo de água nos Vasos de Plantas, Garrafas, Baldes, Pneus e Latas, virando-os com a boca para baixo. Além da dengue, São Paulo sofre com a seca e o medo de racionamento, por isso muitas pessoas estão estocando água da chuva em casa.

É muito importante que esta água de reúso esteja guardada em recipiente com tampa. Use Redes nas janelas e portas isso evita que os mosquitos entrem em casa. Passe diariamente Repelente com Icaridina em todo o Corpo e até na Roupa, não esquecendo as Orelhas, Mãos e Pés (locais onde os mosquitos gostam de picar). Evite visitar locais com água parada, mesmo que limpa, como Rios e Lagoas. Use roupas que cubram o corpo, especialmente Calças e Sapatos fechados. O uso roupas claras também ajuda a ver o mosquito mais facilmente.

O Ministério da Saúde fornece o número gratuito 0800 770 5870 para informar a população e receber queixas sobre locais abandonados que possam servir de criadouro de mosquitos da dengue.

Os Cuidados

AeP: Agradeço sua disponibilidade em participar como entrevistada no Alérgica e Produzida. Gostaria que finalizasse com dicas e sugestões de produtos para evitar a dengue.

O uso diário com reaplicação a cada 7 horas de **Repelente com *Icaridina (repelentes com outros mecanismos de ação, como o Deet, não tem a mesma eficácia). **Velas de: Andiroba, Citronela e Neem, que também são repelentes naturais, ajudam a nos proteger da ação do mosquito dentro de casa. **Pulseiras de Citronela e **Aparelhos Elétricos que repelem o mosquito através de ondas sonoras, também podem fazer parte do aparato contra o mosquito da dengue.

**Repelente com Icaridina, Velas (Andiroba, Citronela, Neem), Pulseiras de Citronela e Aparelhos Elétricos por Ondas Sonoras, são encontrados Alergoshop: www.alergoshop.com.br

*Segundo a  OMS – Organização Mundial da Saúde, a concentração ideal de Icaridina no repelente deve ser de 20% para oferecer até 10 horas de proteção contra o mosquito transmissor da dengue.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Biomassa de Banana Verde

alergica-e-produzida-banana-verde

Biomassa: A banana verde é rica em carboidratos, vitaminas, minerais e nutrientes. Ajuda o sistema circulatório, as funções cerebrais e protege os ossos.

Banana Verde

Excelente fonte de energia, fibra alimentar e compostos fenólicos – grupo de antioxidantes que previnem o envelhecimento precoce. É bem consumida entre os praticantes de atividade física, pois evita a fadiga muscular durante o treino. A fruta também possui triptofano – aminoácido precursor da serotonina, o neurotransmissor relacionado ao prazer e bem estar, por isso contribui para a melhora da insônia, auxilia na redução do estresse e da irritabilidade e alivia os sintomas da TPM. Quando madura, a banana contém uma quantidade pequena de amido e grande quantidade de açúcares, por isso, um alimento com elevado valor energético. Desta forma, quem quer emagrecer deve consumir a fruta madura com moderação.

 Superalimento
alergica-e-produzida-alergias-nutricao-bananas-verdes

Principalmente quando cozida, a fruta é eleita como superalimento, pois possui um nutriente, chamado amido resistente que, após ter sido digerido pelas enzimas gástricas, chega ao intestino grosso com suas moléculas inteiras, onde é fermentado e depois eliminado pelo bolo fecal junto com parte da gordura e do açúcar consumidos nas refeições.

Esse nutriente favorece a integridade da mucosa contribuindo para a correta absorção dos nutrientes. Por apresentar baixo índice glicêmico, a banana verde é capaz de prevenir o desenvolvimento do diabetes tipo 2, atuar na redução do colesterol, no acúmulo de gordura corporal, na prevenção de doenças cardíacas e forma uma barreira possível de prevenir a entrada de invasores como: diarreias, obstipação e até o câncer.

Além de todos esses benefícios, é uma grande aliada para quem quer emagrecer de forma saudável, pois o açúcar é distribuído lentamente pelo corpo evitando picos de insulina e contribuindo para a sensação de saciedade.

Biomassa

A   é o purê da banana verde 100% natural, sem sabor que age como Espessante, sendo utilizada em diversas preparações culinárias substituindo Creme de Leite, Leite Condensado, Maionese e Farinhas. A Biomassa pode ser encontrada em lojas de produtos naturais em forma integral, polpa ou como farinha. Texto da Nutricionista Funcional, Paola Nunes.

Receita: Brigadeiro

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-biomassa-bananas-verdes-receitas-brigadeiro-paola-nunesIngredientes:

2 colheres (sopa) biomassa de banana verde;

1 colher (sopa cheia) cacau em pó;

1 colher (sopa) açúcar demerara;

3 colheres (sopa) bebida vegetal;

1 colher (chá) manteiga ghee ou óleo de canola;

Modo de Preparo: Aquecer uma panela antiaderente e acrescentar a manteiga ghee/óleo, a biomassa, a bebida vegetal, o açúcar e o cacau. Mexer sempre, até formar uma massa homogênea e que desgrude fácil da panela. Para enrolar, passar ½ colher (café) manteiga ghee/óleo na mão, fazer bolinhas com a massa e depois passar no cacau em pó.

Veja Mais
AlergiasNutrição

Batata Doce: o carboidrato ideal

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-batata-doce-carboidrato

A batata doce é o carboidrato ideal para as dietas de emagrecimento, restrições ao glúten e para garantir maior energia ao metabolismo dos atletas, por ser rica em proteínas e ter baixo índice glicêmico.

O tubérculo possui boas doses de minerais – manganês, magnésio, cálcio, fósforo e potássio, é excelente fonte de Vitamina A, que contribui para a saúde dos olhos, pele e sistema imunológico.

O alimento é composto principalmente por amido, por isso, pode substituir o arroz ou macarrão nas refeições. Além disso, a batata doce ajuda para o bom funcionamento do intestino, por ser rica em fibra alimentar insolúvel.

Diferente dos grãos e farinhas brancas, ela prolonga a sensação de saciedade, libera energia para o organismo aos poucos, evitando picos de glicose, prevenindo doenças como obesidade, envelhecimento precoce e diabetes.

Batata Doce X Batata Inglesa

As diferenças entre as batatas vão do sabor ao índice glicêmico. Enquanto a batata inglesa tem um alto índice glicêmico IG = 70, que eleva rapidamente o açúcar no sangue, a batata doce possui um índice glicêmico muito menor IG = 48, que evita a rápida elevação da insulina.

Mesmo sendo saudável, é importante lembrar que o consumo em excesso de batata doce, será armazenado na forma de gordura. Por isso a porção ideal por refeição deve ter a medida da palma de sua mão e ser combinado com vegetais folhosos verdes, de preferência crus e mais 2 ou 3 variedades de legumes com cores diferentes.

Boas sugestões são: acelga, alface, agrião, rúcula, couve, abóbora, abobrinha, chuchu, cenoura, beterraba, couve flor, brócolis, etc. Matéria e Receita da Nutricionista Funcional, Paola Nunes.

Receita: Pão de Queijo

alergica-e-produzida-alergias-nutricao-batata-doce-receita-pao-de-queijo100 g de batata doce cozida;

2 ovos;

2 claras;

50 ml de água;

150 g de ricota de tofu;

sal a gosto;

200 g de polvilho azedo;

1 colher (sopa) de fermento em pó;

1 colher (sopa) de semente de chia;

Modo de Preparo:

Liquidifique a batata doce, a ricota de tofu, a água, os ovos, as claras e o sal. Quando a massa estiver numa consistência cremosa, agregue os demais ingredientes e liquidifique até que todos os ingredientes estejam homogêneos.

Modele a massa em bolinhas do tamanho de sua preferência, distribua-os numa assadeira untada com azeite, deixando um espaço entre eles. Leve ao forno pré-aquecido por 30 minutos ou até os pães estejam dourados.

Veja Mais
AlergiasDermatologia

Alergia ao Níquel: Dermatite de Contato

alergica-e-produzida-bijuterias-metal-niquel-relogio

Alergia ao Níquel: As bijuterias estão cada vez mais bonitas, mas quando tentar usar um acessório, sua pele fica irritada, com coceira e até inchada?

Não é alergia a Bijuteria, é alergia ao NÍQUEL!!

Alergia ao Níquel é uma doença de pele do grupo das Dermatites de Contato por Metais e afeta principalmente as Mulheres. Existem dois tipos de Alergias causadas pelo Níquel:

  • Dermatite Endógena causada pela ingestão de Níquel na Alimentação e com importante papel em Lesões dos Pacientes.
  • Dermatite  de Exposição Exógena causada pelo contato direto da pele com o metal e, que é, sem dúvida, a principal causa dessa Alergia.

O Níquel nos alimentos

alergica-e-produzida-alergia-a-niquel-graosDiariamente é importante ingerir uma média de 0,3 a 0,6 mg de Níquel, pois somente 10% será absorvido pelo organismo. Porém, o Níquel ingerido pode provocar ou perpetuar Lesões de Pele, sendo um problema para Pacientes Alérgicos. Diversos alimentos, como: Cacau, Feijão, Soja, Grão-de-Bico, Amendoins, Amêndoas, Avelãs e Nozes absorvem o metal através do solo.

O Níquel no nosso dia a dia

Por ser um metal muito resistente à Corrosão, o Níquel é utilizado praticamente, todas as Ligas Metálicas, por isso qualquer peça de aparência Brilhante e Cor Prateada, Dourada ou Acinzentada, pode ter uma parcela de Níquel.

Inúmeros objetos como: Zíperes, Fivelas de Cintos, Colchetes, Armações de Óculos, Instrumentos Musicais, Moedas, Maçanetas, Lâminas de Barbear, Alicates de Unhas, Botões de Roupas e até algumas Tinturas de Cabelo contêm esse metal.

Há relatos de pacientes com Dermatite Alérgica ao Níquel, com reações no rosto, provocada pelo contato com o telefone celular que continha itens metálicos.

É importante lembrar que até as Jóias podem induzir a doença. O Ouro Puro seria muito maleável, portanto a Joia é produzida por uma liga de Ouro com outros metais, que pode incluir o Níquel. Então, quanto maior o número de Quilates, mais puro é o Ouro e menor a chance de Alergia.

A presença do Metal tem sido relatada por donas de casa e profissionais de limpeza em detergentes e outros produtos de uso doméstico. As condições de trabalho com alta umidade e a frequente a exposição ao metal, aumentam e agravam a reação e a ocorrência do problema.

Reações Cutâneas

podem acontecer depois de uma exposição prolongada ou logo no primeiro contato. Os sintomas geralmente são: vermelhidão, coceira, pequenas bolhas d’água nos dedos, descamação nas orelhas, pescoço, punhos, mãos e outras áreas do corpo.

Uma vez desenvolvida a alergia, esse processo se perpetua, levando a um estado crônico da doença com aspereza  e possíveis alterações na pigmentação da pele. Na suspeita de Alergia ao Níquel, o Médico deve ser imediatamente consultado.

Diagnóstico

alergica-e-produzida-dermatite-de-contato-teste-de-patch-peleO Teste de Contato ou Patch Test é a principal forma de confirmar o diagnóstico. Muitas vezes os achados clínicos e a evolução da doença são suficientes para fechar o Diagnóstico, dispensando o exame de contato.

Tratamento

No tratamento podem ser usados Cremes, Pomadas e Antialérgicos Via Oral com muita cautela, num curto período de tempo, sempre prescrito pelo médico para reduzir a inflamação e aliviar uma coceira intensa.

Já estão disponíveis Medicações Orais que ajudam o corpo a excretar o excesso de níquel, porém são utilizadas apenas em alguns casos com supervisão médica.

Dicas de prevenção:

  • Revestir os Botões de Metal com tecidos de algodão;
  • Usar luvas para serviços domésticos;
  • Preferir lingeries sem armações metálicas;
  • Buscar por bijuterias em aço cirúrgico ou níquel free;

Em casos graves, a restrição de níquel pode ser necessária.

A hidratação da pele é importante para recuperar os danos causados pelas irritações.

Estudos mostram que uma dieta com baixa quantidade de níquel e o abandono do uso de panelas de aço contribuem no controle das lesões.

Dra Aline Pucci, dermatologista e consultora do AP.

Referências Bibliográficas:

BURNS T, BREATHNACH S, COX N, GRIFFITHS C, editors. Rook ́s Textbook of Dermatology. Massachusetts:Blackwell; 2004; DUARTE, Ida; AMORIM, José Roberto; PERAZZIO, Eliene Félix  and  SCHMITZ JUNIOR, Rutsnei. 

Dermatite de contato por metais: prevalência de sensibilização ao níquel, cobalto e cromo. An. Bras. Dermatol. [online]. 2005, vol.80, n.2, pp. 137-142. ISSN 1806-4841; SAMPAIO SPA, RIVITTI EA.

Dermatologia. 3o ed. São Paulo: Artes médicas; 2008; WOLFF K, GOLDSMITH LA, KATZ SI, et al.

Fitzpatrick’s Dermatology in General Medicine. 7th ed. New York: MacGraw Hill; 2011.

Veja Mais
1 2 3 4 5
Page 2 of 5